Ted Talk – TedXOporto 2014

Dia 8 de Março fui oradora em mais uma edição da TedXOporto.

Foi sem dúvida um privilegio fazer parte de um grupo de oradores tão inspiradores.

O painel em que me integrei tinha como titulo “Visceralidades”.
Falei sobre e minha experiência em Saúde Mental no contexto de Crise e Mudança.

Para os mais curiosos, aqui fica um pouco da Talk, até que Link seja publicado.

“Estavamos muito próximos da linha da frente e por isso ouviam-se constantemente e fortes bombardeamentos. Num dos bombardeamentos, eu abraço-me ao meu tradutor e nesse momento, reparo que o grupo coemça a rir e pergunta-me“ que raio faço eu ali se tenho medo?!” vejo que é o momento certo para lhes explicar que perante bombardeamentos o medo é uma resposta normal/adequada, recear pela vida, e que quando isto já não acontece, podemos estar perante uma reação mais desajustada.

Passo para a promoção de saúde e impacto da desumanização da guerra ao nível da saúde mental (reações normais e patológicas)…

“Sei que 10 chás depois, uma a uma as mulheres começam a vir falar-me de queda de cabelo e receio de ficarem carecas. Como em qualquer situação de crise, a tendência é o isolamento e este, talvez uma das bases de patologização. Cada uma destas mulheres vive intensamente o medo de ficar careca, sem saber que a sua amiga, irmã, vizinha também o vive, isolando-se, e tambem sem saber que aquela é uma reacção psicossomática do seu corpo, á exposição prolongada de stress. Era urgente unir estas mulheres, e por isso, combinamos no chá seguinte, que o tema seriam reações deste género, então na sessão seguinte, cheguei e disse, “em situações de guerras/crises é normal que o corpo da mulher se reajuste á exposição longa a bombardeamentos. Muitas mulheres perdem cabelo. Alguma de vos sente que pode estar a ficar careca? 40 olhinhos assenaram.

Era então altura para falar de algumas estratégias para reduzir estes sintomas.
Como as burcas e os cabelos estavam na ordem dos nosso dias…”

Seminário sobre a Intervenção na Crise e Saúde Mental

Hoje, dia 24 de fevereiro, a saúde mental esteve mais uma vez na ordem do dia.
Integrado na Amadora Resiliente, a ECRE (uma associação em sem fins lucrativos) tomou a iniciativa de convidar vários especialistas da área da saúde mental e intervenção da crise (da protecção civil ao responsável pela saúde mental em situações de emergência) a juntarem-se para debaterem estratégias de acção e implementação neste tipo de cenários (catástrofes ou crises) de modo a conseguir-mos estar preparados caso algo aconteça.
Eu fui uma das oradoras e fui falar da implementação de um programa de saúde mental no terramoto do Irão, de modo a poder contribuir com a componente prática deste seminário.

Da formação de guardiãos de saúde, para a necessidade de um sistema de referencia da comunidade para o sistema nacional de saúde, foram alguns dos pontos focados.

Foi sem dúvida um previlégio estar presente numa iniciativa arrojada que juntou cerca de 50 pessoas numa manha solarenga, na Amadora.

Maria Palha, uma das Oradoras da TedX Porto


Apresentação da TedX Porto:

“Alguns tratam-na por Psicóloga do Mundo” nomenclatura que serve para expressar o que é”, afirma. Uma Apaixonada por pessoas, por diferentes culturas, por viagens. Se a tudo isto juntarem contextos onde possa transformar crise em oportunidade, conseguir-se-á definir o que a move.
Os Chineses dizem que é na crise que a história avança, não confirma, mas sabe que há 8 anos que viaja o mundo a definir e implementar programas de saúde mental em contexto de crise humanitária. Atualmente está em Portugal a dar apoio a dar apoio psicológico a adultos em fase de mudança. Começou em 2006, em Moçambique e Zimbabué, centrada no HIV-Sida e rapidamente se voltou para a intervenção na crise. As Catástrofes naturais e humanas foram o seu cenário de trabalho nos últimos 5 anos. Cheias no Brasil, terramotos no Irão, Pós-Conflito em Kashemira, Conflito na Líbia, terminando recentemente na Síria.”